segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Consciência Negra sempre


Estamos na Semana da Consciência Negra e sexta-feira próxima é feriado. Para pontuar este assunto, voltemos a 2004. No centro de São Paulo, a Praça da República estava lotada de gente comemorando a aprovação do 20 de novembro como data comemorativa da consciência negra. No palco, Rappin Hood entrou e foi ovacionado e cercado pelos manos e pelas minas. No final da primeira música, ele para em frente ao palco. Em tom de conversa e de discurso, fala sobre a importância desse dia. “Muita gente tá comemorando porque vai ter mais um feriado. Isso está errado. Se pensam que este feriado é para ficar em casa, assistindo TV e comendo pipoca, estão enganados. Este feriado é para sair às ruas e fazer o que estamos fazendo aqui e agora!”. O público vibrou e entendeu o recado. A partir deste exemplo, muita gente ali compreendeu que o feriado do Dia da Consciência Negra não se trata de apenas mais um feriado. Mas o dia de dizermos para a sociedade (e para nós mesmos), que ser negro não é só pele, mas um estado de espírito, de luta, de consciência, de perspectiva, mudança, crescimento e outros tantos valores importantes. É o dia de refletir sobre lutar pelos direitos, contra a discriminação, educação e oportunidades de trabalho e por uma sociedade mais justa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário