sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Integrante do AfroReggae chama policiais de 'criminosos fardados' e irrita comando da PM




DIANA BRITO

colaboração para a Folha Online, no Rio


O coordenador executivo do AfroReggae, José Júnior, cobrou nesta sexta-feira a punição dos policiais militares suspeitos de terem omitido socorro a Evandro João da Silva, 42, coordenador do grupo morto durante um assalto no último fim de semana, no centro do Rio. Em entrevista ao lado do comandante geral da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, Júnior se referiu aos PMs como "marginais criminosos fardados", constrangendo o comando da corporação. Júnior, porém, afirmou que o coronel prometeu acompanhar pessoalmente as investigações. "O comandante disse que terá o empenho pessoal dele nas investigações e que esses policias serão punidos exemplarmente. Queremos a punição dos criminosos, claro, mas também dos PMs", afirmou.


As declarações, entretanto, desagradaram o comandante-geral da PM, que disse que se sentiu "ofendido" e afirmou ainda que o coordenador deve se desculpar pelo que disse. "Não gostei. Não havia necessidade do José Junior ter dito 'bandidos fardados'. Tenho isso como uma ofensa, não porque os PMs cometeram o que cometeram. [...] Tenho isso como uma ofensa porque ele foi acolhido dentro do quartel general da PM, porque expressões desse tipo acabam ofendendo toda a corporação", afirmou o coronel Duarte, após a entrevista.


"Já que estou dizendo que a polícia errou, não há necessidade de uma semântica dessa dentro do quartel. [...] Ele tem todo o direito de usar palavras duras, mas nós estávamos em um momento de exibição das nossas chagas", completou. O coronel afirmou ainda que irá procurar José Junior para discutir a declaração do coordenador, e destacou que o objetivo do encontro de hoje era aproximar a Polícia Militar do AfroReggae e da sociedade. "Agora quem nos deve desculpas é ele, por ter usado essa expressão dentro do quartel", afirmou.


Violência
Silva foi morto na esquina das ruas do Ouvidor e do Carmo, na região central da cidade, quando seguia para uma casa noturna, na madrugada de domingo (18). O capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira Salles foram flagrados por câmeras de segurança liberando dois suspeitos do crime, e permaneciam até esta sexta-feira presos disciplinarmente no 13º Batalhão (Praça Tiradentes). Em depoimento à polícia, os policiais negaram ter omitido socorro à vítima, que morreu durante um assalto.
Comentário do Blog: Nós avisamos, eles vão cobrar...... e muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário