sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Universidade pública não deveria ser acessível?

A USP abriu inscrições para a Fuvest 2010. Sabe qual o preço da inscrição? R$ 100,00. Apesar de o preço já fazer parte do cardápio há algum tempo, continua sendo um absurdo, se pensarmos que esse valor tira a possibilidade de muitos estudantes sem o benefício do "paitrocínio", "mãetrocínio", poupança, mesada, bons salários, ou qualquer outra ferramenta facilitadora no pagamento da inscrição, sem causar um rombo no orçamento. Esse valor só reforça uma visão construída nos últimos anos em relação à USP: a de uma universidade pública onde só ganha espaço estudantes oriundos da classe média alta e/ou famílias abastadas. A começar pelo preço da inscrição. O jornal O Estado de São Paulo divulgou em março deste ano uma matéria intitulada “Cresce número de alunos de renda alta na USP”, que aponta crescimento de 36,4% da proporção de calouros com renda superior a R$ 5 mil entre 2001 e 2009. Usando um pouquinho de ironia, talvez a Universidade tenha ficado animada com os últimos números da média dos rendimentos reais do trabalhador brasileiro. Eles subiram entre 2007 e 2008. Segundo o Ministério do Trabalho a média salarial no ano passado foi de 3,52% acima da inflação. Se alguém reclamar do preço da inscrição, eles tirarão a pesquisa da gaveta e dirão: "olha só, eles podem pagar, seus rendimentos não aumentaram?". Deixando o humor de lado, a realidade é crua no sistema educacional brasileiro. Só podemos contar com os milhares de guerreiros e guerreiras espalhados por aí e que simplesmente não entregam a situação de mão beijada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário