terça-feira, 4 de agosto de 2009

Frida Baranek volta a São Paulo com exposição EXTERIORES

A partir do dia 8 de agosto, sábado, 12h, o Gabinete de Arte Raquel Arnaud abre a exposição da arquiteta, gravadora e escultora carioca Frida Baranek. Há 17 anos vivendo e trabalhando em países como Alemanha, França e EUA, a artista volta ao Brasil para realizar a exposição EXTERIORES, mostrando ao público trabalhos inéditos. As obras foram concebidas em um momento extremamente singular de sua trajetória: a construção de esculturas especialmente voltadas para áreas externas, criando, além de um objeto físico, um espaço de interação e contemplação. O texto crítico da exposição foi assinado por Camillo Osório, Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Professor de Estética e História da Arte no Departamento de Teoria do Teatro da Universidade do Rio de Janeiro. Exteriores fica aberta até 19 de setembro de 2009.

A idéia de trabalhar objetos focados em exteriores sempre atraiu a artista. Suas novas obras retratam justamente a necessidade de Frida em aprofundar-se no assunto. A principal fonte de inspiração foram as árvores, mais precisamente a relação do vento com elas, o que Frida chama de “tensão entre flexibilidade e resistência”. Concentrada nestas impressões, Frida criou, por exemplo, um deck de madeira sobre uma estrutura de ferro, apoiado de forma fixa sobre um tubo, proporcionando um movimento como o de uma gangorra (para cima e para baixo ao girar do tubo).

Nessa escultura, com formato retangular de 2x4 metros, o tubo está exatamente no meio, criando um ponto de equilíbrio, onde a peça parece flutuar, movendo-se apenas com o vento. A partir do momento em que o público interage e sobe na peça (sentadas ou deitadas), a tensão da procura do equilíbrio se transfere para as pessoas. Seria esta uma forma quase plástica de transferir ao público a sensação das árvores sendo tocadas pelo vento? “Quando o corpo se equilibra ele se entrega e aproveita. Gosto do aspecto da tensão e do prazer, pois é interessante provocar esses sentimentos através de um objeto”, pontua a artista. Uma das características mais marcantes do trabalho de Frida Baranek é a capacidade de transformar seu pensar artístico em esculturas ou em uma nova realidade. Artista da Geração 80, como Ana Maria Tavares, Angelo Venosa, Nuno Ramos, Paulo Monteiro e Sergio Romagmolo, Frida trabalha com freqüência as questões relacionadas ao equilíbrio e o desequilíbrio. Um dos trabalhos mais emblemáticos e que ilustram esse pensamento data de 1985, na qual um balão vermelho sustenta uma pedra, dando a impressão de desafiar a gravidade.

Biografia

Frida Baranek (Rio de Janeiro/1961) é escultora, arquiteta e gravadora. Durante os 17 anos em que esteve no exterior, viveu e trabalhou em países como a França e Alemanha. Atualmente mora EUA, em Nova Iorque. Representada no Brasil pelo Gabinete de Arte Raquel Arnaud desde 1990, seu trabalho marcou presença nas feiras em que a galeria participou, além das exposições de acervo realizadas em São Paulo. Estudou escultura, entre os anos de 1982 e 1984 com João Carlos Goldberg e o artista plástico Tunga na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Formou-se em arquitetura pela Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, em 1983. Em 1984, iniciou pós-graduação em escultura pela Parsons School of Design, em Nova York. Atua com gravura e predominantemente escultura. Em suas obras emprega materiais industrializados, como placas, hastes e fios de ferro ou aço, que muitas vezes são previamente expostos à ação do tempo, de maneira a perder sua aparência original. Suas obras integram o acervo de importantes instituições, como o National Museum of Women in the Arts (EUA- Washington), o Washington University Art Museum (St.Louis, EUA), o Ministére de La Culture e Fonds National d´Art Contemporain (França), o Pusan Metropolitan Art Museum (Coréia do Sul), além dos Museus de Arte Moderna do Rio de Janeiro e de São Paulo. Frida Baranek mostrou sua arte em eventos de expressão, como a 20ª Bienal Internacional de São Paulo (1989) e na 49ª Bienal de Veneza (1990).


Exposição “EXTERIORES”

Gabinete de Arte Raquel Arnaud. A partir de 8 de agosto, 12h, até 19 de setembro de 2009. Horário: Segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h. Grátis. Rua Arthur Azevedo, 401 - Pinheiros, São Paulo, SP. Fone: 011 3083 6322http://www.raquelarnaud.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário