terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Cordeiro do Maranhão expõe no Rio de Janeiro


CORDEIRO DO MARANHÃO REALIZA SUA PRIMEIRA
EXPOSIÇÃO INDIVIDUAL NO RIO DE JANEIRO

O Centro Cultural Correios inaugura a exposição "Humanos", primeira individual no Rio de Janeiro, do escultor, pintor e desenhista Cordeiro do Maranhão. A exposição é composta por 26 telas e 13 esculturas e as obras são resultado de um intenso trabalho de pesquisa e observação do artista sobre as culturas de diversos povos, com acentuação maior para os aspectos das culturas indígena e rupestre oriental. A abertura de Humanos acontece dia 11 de fevereiro, a partir das 19h.
Nesta exposição o artista mostra a diversidade de suas técnicas de pintura, que passeiam desde a acrílica sobre tela, até a inserção de objetos nas telas, colagens, desenhos, entre outros. Durante seus trinta e quatro anos de trajetória dentro do universo das artes plásticas, Cordeiro do Maranhão passou por diversas fases criativas e de interpretação artística, mas foi na arte indígena que ele encontrou um mundo de cores e de formas elegantes, uma nova visão do fazer artístico, uma perspectiva diferente de como buscar e tecer as fibras e as cores de seu trabalho. A criatividade e o aspecto rústico da arte indígena toma forma nas suas obras. Cordeiro do Maranhão encontrou no modo de vida dos índios um motivo maior para seus estudos.
Mas artista diverso e multicultural que é, também sofre grande influência da cultura oriental, igualmente demonstrada na exposição "Humanos". Influenciado pelo rústico, procura demonstrar em suas obras esse aspecto das culturais dos povos orientais, desvendando seus símbolos e esmiuçando suas nuances de significados. Esses detalhes podem ser percebidos estampados em detalhes nas telas de Cordeiro. O rústico é fonte de pesquisa constante para o artista, que colhe informações, estiliza idéias e mostra, de acordo com a sua percepção, como foram criados certos objetos durante o período da arte rupestre.

A obra de Cordeiro retrata seu fascínio pelas formas e cromáticas naturais. A sua atenção recai sobre as cores utilizadas de forma bruta, mas sempre com um toque de sutileza. Na área da esculturas, depois de trabalhar com vários materiais como cerâmica, concreto, fibra de vidro, etc. optou por trabalhar com sucata. Mas seu processo criativo, neste caso funciona de uma forma diferente em relação à pintura: nem sempre o tema vem primeiro, ele é determinado pela forma que a sucata apresenta e às vezes o título surge antes da peça ser confeccionada. Na escultura as técnicas são utilizadas de acordo com o está sendo criado. O artista estuda o metal quanto a sua forma, durabilidade, consistência, versatilidade e cor a ser aplicada. Exposição "HUMANOS" – Cordeiro do Maranhão
Local Cento Cultural Correios – R. Visconde de Itaboraí, 20, Centro – Rio de Janeiro – Tel (21) 2253-1580
Abertura 11 de fevereiro
Período 12 de fevereiro a 8 de março
Horário Terça a domingo, das 12h às 19h (entrada franca)
Nº de obras 39
Técnica mista
Dimensão pintura: etre 70x40cm e 120x220cm / escultura: 38x50x56cm e 193x66x51cm

Nenhum comentário:

Postar um comentário