sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Exposição Ecos de Dakar mostra semelhanças entre brasileiros e africanos


Além da cor da pele, quais as principais semelhanças de comportamento entre os brasileiros e o africanos? Para produzir a exposição intitulada "Ecos de Dakar", uma mostra fotográfica com 30 fotos, em cartaz na Caixa Cultural - Sé, a fotógrafa e jornalista baiana Márcia Guena viajou ao Senegal, na África, e clicou lugares como Dakar, Bakel e Tambacounda, na região de Casamance, onde vive o povo Diola, na Ilha de Gore. As respostas que encontrou estão impressas em suas fotografias, através de gestos, cores e sorrisos do povo senegalês. Tal identidade foi o critério de seleção das imagens para a exposição, que visa evidenciar a ancestralidade negra do povo brasileiro além de fatores físicos. As formas de lidar com adversidades, religiosidade e identidade emocional também entram em sua descoberta de tão próxima ligação.


Caixa Cultural - Sé
Endereço: pça. da Sé, 111, Sé, região central, São Paulo, SP. Classificação etária: livre.
Informações: (11) 3321-4400
Até 8 de março

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

População Quilombola é tema de discussão do Fórum Mundial Social


Os Quilombolas marcam presença no Fórum Social Mundial 2009, que começou nesta semana, em Belém no Pará. Populações remanescentes dos escravos que escaparam das fazendas e adentraram as matas para formar sociedades, eles serão assunto de discussão e reflexão nesta sexta-feira, dia 30 de janeiro. O presidente da Fundação Cultural Palmares, Zulu Araújo, é presença confirmada e participa de uma mesa-redonda que reunirá dez debatedores sobre o Programa Brasil Quilombola e a Agenda Social Quilombola. A mesa faz parte de uma oficina que tem o objetivo de debater as políticas públicas de promoção da igualdade racial. Também pretende promover a troca de experiências e a visibilidade do Programa Brasil Quilombola, criado pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).
Lideranças quilombolas do Pará e comunidades quilombolas em geral participarão da oficina, além de militantes do Movimento Social Negro, representantes dos movimentos sociais, simpatizantes, pesquisadores e gestores públicos.

No caso do Estado do Pará, os quilombos se formaram ao longo dos séculos XVIII e XIX. Ao fugir para esses aldeamentos, conhecidos também por mocambos, o escravo conquistava a garantia de autonomia, liberdade de ação e também de movimento, fato impossível no regime cruel de escravidão das fazendas.Na fuga, o escravo aventurava-se sozinho, indo abrigar-se, muitas vezes, em aldeias indígenas.Com o tempo, aprenderam a se organizar. A fuga passou a ser uma estratégia coletiva de resistência ao regime escravista.
Os quilombos cresceram rapidamente, pois eram o principal foco de atração dos negros que escapavam das cidades e das fazendas. A fuga de escravos tornou-se um processo contínuo e rotineiro a partir da segunda metade do século XVIII e início do XIX, quando também aumentaram as notícias sobre os quilombos na imprensa local.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Barrados no baile de novo


Mais 20 brasileiros foram barrados no aeroporto de Madri, na Espanha, em mais um gesto de intolerância e de xenofobia do governo espanhol . O que mais revolta é a forma de tratamento dado aos brasileiros. Interrogados, agredidos verbalmente, confinados em salinhas minúsculas, prejudicados financeiramente, humilhados, pelo simples fato de serem brasileiros. São pessoas que iriam visitar seus parentes, passar férias ou mesmo trabalhar. A Embaixada da Espanha no Brasil ainda não soube explicar qual o tipo de documentação faltou aos passageiros. Quem passou pela situação não vê motivos documentais. É preconceito mesmo. O que é engraçado (ou não) é que os espanhóis ganham muito, mas muito dinheiro em terras tupininquins. Porque?


1) Porque investidores espanhóis estiveram à frente de alguns dos principais negócios fechados durante o ciclo de privatizações iniciado no país há dez anos.


2) Telefónica arrematou a rede de telefonia fixa no estado de São Paulo, a cereja do bolo do leilão do sistema Telebrás.


3) O capital espanhol espalhou-se por diferentes setores, como energia, extração de petróleo, edição de livros e hotelaria.


4) O Banco Santander comprou o Real e tornou-se o segundo maior banco privado do Brasil, atrás apenas do Bradesco e à frente do Itaú.


5) Outro avanço dos espanhóis ocorreu no leilão de concessão das rodovias federais. Em outubro de 2007 a OHL arrematou cinco dos sete trechos oferecidos, ficando com os dois mais cobiçados (Régis Bittencourt e Fernão Dias).


E sabe quantos espanhóis vieram ao Brasil em 2006? 211.741!! Agora pergunta: quantos desses turistas foram barrados aqui? Bom, não precisa responder. Isso acontece por diversos motivos. Uma porque ainda temos um ranço de país colonializado que incomoda. Mas por outro lado, isso nos difere deles, não temos educação européia, mas temos um coração grande, um comportamento fraternal que nos torna muito mais simpáticos. Coisa de brasileiro. Esse problema tem que ser resolvido pelo governo brasileiro, que chegou a endurecer no começo, mas afrouxou depois...até quando seremos barrados como criminosos?

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Diferentes violências que levam à mesma dor


O mundo precisa voltar suas atenções para o julgamento do congolês Thomas Lubanga, ex-líder de milícia, acusado de recrutar crianças com menos de 15 anos de idade para lutar nos conflitos na República Democrática do Congo, acontecido entre os dias 1º de setembro de 2002 e 13 de agosto de 2003. Trinta e quatro testemunhas falarão o que viram e o que sabem no Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia, na Holanda. Inclusive uma das vítimas, uma garoto que foi recrutado para matar, estuprar e pilhar, após um intenso "treinamento" . Uma forma cruel de marcar para sempre, à ferro em brasa, uma vida em formação. O julgamento de Lubanga é importantíssimo não só para a África, mas para o mundo. A dor imposta a essas crianças é a mesma a dos inocentes iludidos e recrutados pelo tráfico de drogas, ou para trabalhar nos faróis debaixo de chuva e sol, das crianças refugiadas de guerra, as prostituídas, vítimas de pedofilia, violência doméstica, e também, das crianças moradoras de rua perseguidas e humilhadas pela julgo da polícia e da sociedade que se cala diante de tanta barbárie. Simplesmente, fecham os vidros elétricos de seus carros, mudam de canal ou preferem ler a coluna social do que o caderno internacional ou o de Cidades.. A prisão de Lubanga é fazer justiça por todas elas.

Samba de luto


A sambista Jilçária Cruz Costa, conhecida como Tia Doca, de 76 anos, foi vítima de um infarto e faleceu no último domingo, 25 de janeiro.Integrante da Velha Guarda da Portela, escola de samba do Rio de Janeiro, Tia Doca havia sofrido um derrame no último dia 17 e foi internada no hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, sendo transferida no dia seguinte para o Hospital dos Servidores do Estado (Iaserj), no centro do Rio. De acordo com nota emitida pela assessoria da escola, a sambista havia recebido alta da CTI na última quarta-feira (21) e seu quadro de saúde era estável.Tia Doca foi uma das sambistas da Velha Guarda da Portela retratadas no documentário "O Mistério do Samba", produzido pela cantora Marisa Monte, que também faz participações no filme. O corpo de Tia Doca foi velado na próxima segunda-feira (26), na quadra da Portela. O sepultamento aconteceu às 16h no cemitério de Irajá, no RJ.

O mundo está com fome!


Número de pessoas que passam fome no mundo aumentou em 2008, diz ONU


O número de pessoas que passam fome no mundo aumentou em 2008 para 963 milhões, contra 832 milhões registrados em 2007, afirmou na manhã desta segunda-feira o diretor da FAO, o braço da ONU (Organização das Nações Unidas) para Alimentação e Agricultura, Jacques Diouf.
Diouf abriu a reunião de auto nível sobre segurança alimentar de 2009 nesta manhã, que acontece em Madri até terça-feira (27), quando o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, deve anunciar nova meta mundial de combate à fome. A secretaria de Estado americana, Hillary Clinton, enviou uma mensagem gravada à abertura na qual defendeu o multilateralismo nas políticas para a erradicação da fome no mundo, que, segundo ela, é "alta prioridade" no governo do presidente Barack Obama.
"O presidente Obama deixou claro que aliviar a fome ao redor do mundo e uma das maiores prioridades do seu governo", afirmou.
Hillary criticou o preço elevado dos alimentos provocado pela crise mundial e invocou uma "nova parceria" com outros países desenvolvidos e a ONU para alcançar a meta de reduzir pela metade o número de pessoas que passam fome no mundo.
"Estamos comprometidos em construir uma nova parceria para coordenar melhor as políticas para alcançar as Metas do Milênio em 2010", declarou a secretaria na gravação.
A reunião desta segunda-feira é uma tentativa da ONU de acelerar a aplicação de recursos prometidos por governos e órgãos mundiais para alcançar a meta citada por Clinton durante a Cúpula sobre Segurança Alimentar realizada em Roma em junho do ano passado.
Segundo Diouf, a cúpula terminou com a promessa de recursos no valor de US$ 22 bilhões, menos do que ele avalia ser necessário para combater o problema --US$ 30 bilhões.
Apesar de elogiar iniciativas como a aprovação, na União Europeia, de investimentos de US$ 1 bilhão na agricultura nos próximos anos, Diouf afirmou que os meios financeiros ainda estão aquém das necessidades. Ele também não previu um fim para a crise alimentar iniciada em 2007. "A crise continua", assinalou.
Apesar dos poucos resultados práticos das últimas reuniões da FAO, o diretor do órgão anunciou a intenção de uma nova cúpula mundial em 2009, agora com a participação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para alcançar um "objetivo rápido para a erradicação da fome no mundo".
Espanha anuncia ajuda de 500 milhões de euros
Também na abertura da reunião, o ministro Assuntos exteriores e Cooperação da Espanha, Miguel Angel Moratinos, anunciou compromisso do país em investir 500 milhões de euros (US$ 647 milhões) nos próximos cinco anos para fomentar a produção agrícola em países subdesenvolvidos.
"Temos os recursos e os meios para alcançar um status de segurança alimentar. Não podemos deixar exclusivamente ao mercado essa iniciativa", declarou.
Apesar de o ministro ter defendido nesta manhã mais fundos para ajudar na produção de alimentos em países subdesenvolvidos, o governo espanhol indicou na semana passada que vai investir no protecionismo e fomentar o consumo de produtos nacionais para sair da crise.

Matéria extraída da Folha Online, escrita pela repórter Luisa Belchior, de Madri

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Bye Bye Bush


George Bush é ex-presidente dos EUA. Nunca foi tão bom dizer a palavra EX. Quem pode ter saudade de um cara que deixou para trás nada mais, nada menos, que duas guerras mal resolvidas, além dos milhares de mortos, entre civis e militares? O que achar de um cara que durante todo seu governo teve a capacidade de olhar somente para uma direção: o seu umbigo? E o que falar de um cidadão capaz de aumentar as tensões xenofobistas pelo mundo e angariar o ódio de 80% de sua própria população? Até a Ku Klux Klan ganhou força no governo Bush, os caras passaram anos se escondendo debaixo do colchão e derrepente começamos a receber notícias de que homens negros eram amarrados em Pick Ups e arrastados por estradas do Texas (Texas? Não é seu Estado de origem?) até seu corpos sumirem! Bush fechou as portas para os imigrantes, perseguiu os mexicanos massacrando-os na fronteira como se fossem moscas, e ainda de quebra, causou em seu governo de 8 anos o maior índice de desemprego dos EUA em 4 décadas... E o pior que ainda consegue ser um cara de sorte. Teve assistentes para fazer sua mudança. Já o seu ex-vice-presidente teve que se virar sozinho e acabaou detonando as costas carregando caixas e teve que ir á posse de cadeira de rodas. Adeus Bush, adeus Lei do mais forte, adeus segregacionismo. Que venha Obama! Mas estaremos de olho....

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Moda vai, moda vem


Já ouviram aquelas histórias de adolescentes que admiram o vovô e depois de uma tarde escutando histórias do arco da velha, reviram o baú que está no sóton e descobrem umas roupas curiosas, antigas e cheias de pó. Vestem, mas quando alguém o pega no flagra experimentando, ele morre de vergonha e tira tudo rapidinho, dizendo que estava dando só uma olhada. Mas na Fashion Rio 2009 o pessoal faz isso sem a menor vergonha. Isso é até legal. Mas tratar o chapéu Panamá como novidade, aí, é uma outra história. Quem frequenta as rodas de samba cariocas, sabe muito bem que o Panamá sempre esteve lá. E quem anda pelos redutos do samba em São Paulo também tem plena convicção que a moral desse ornamento nunca esteve nem próximo de acabar. Pena que imprensa vai nesse barco e dá o mesmo tratamento para o assunto. Dois exemplos de que o Panamá nunca saiu da moda: Emanuel Araújo, diretor do Museu Afro, Thobias da Vai Vai, Paulinho da Viola... precisa de mais?

Jackson no Pandeiro

A força da música do paraibano Jackson do Pandeiro é imortal. Considerado o maior ritmista da música brasileira, sua história reforçou a influência negra na música nordestina. O som de seu pandeiro mágico encantou músicos de várias gerações. E os sons do pandeiro de Jackson ecoam até hoje, até em outras tendências do universo artístico . Magy Imoberdorf, artista plástica, inspirou-se na figura do artista para criar uma obra de arte que integra uma exposição coletiva de artistas, denominada TUPYEXX-Mulder III. Os sete artistas plásticos mostram na Mônica Filgueiras Galeria de Arte trabalhos idealizados a partir de um material inusitado: o pergaminho. No trabalho de Magy, o rosto de Jackson do Pandeiro aparece no centro de um pandeiro, onde o couro dá lugar a uma folha de pergaminho.




Serviço


Monica Filgueiras Galeria de Arte


R. Bela Cintra 1533. Tel (11) 3082-5292


2ª a 6ª, das 10h30 às 19h30


Sábados das 10h30 às 15h


Até dia 21 de fevereiro

Obama está chegando...


Os preparativos para a festa da posse de Barack Obama, que acontece na próxima terça-feira, dia 20 de janeiro, continuam a todo vapor. Na última quinta-feira, o presidente eleito dos Estados Unidos tirou a "foto oficial" da presidência. E o ineditismo parece fazer parte da história de Obama. Pela primeira vez, a tradicional "foto oficial" foi tirada com uma câmera digital. Assim como os ocupantes mais recentes da Casa Branca, Obama aparece com a broche dos Estados Unidos no peito e a bandeira americana ao fundo.
A posse vai reunir cerca de 500 mil pessoas em Washington. Celebridades como Beyonce, Oprah Winfrey, Tom Hanks e Denzel Washington devem participar de um show para comemorar a "integração do país", segundo informaram assessores do presidente eleito. Além disso, Obama vai marcar presença em nove bailes comemorativos ao longo do dia 20.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Vai ou não vai essa reforma ortográfica?


O Brasil tornou-se o primeiro país de língua portuguesa a adotar as novas regras ortográficas. Mas, enquanto isso, no resto do mundo lusófono, o acordo ainda cria muita discussão, causando incertezas sobre sua adoção. Países como São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Portugal já ratificaram o acordo, mas nenhum deles tem data marcada para implementar a nova ortografia. Timor Leste, Guiné-Bissau, Moçambique e Angola - estão interessados em aprovar o acordo, mas até agora, nada de decisão. Sobre o assunto, ainda há muita polêmica. Em Portugal, corre uma petição com milhares de assinaturas que pede a suspensão do acordo. Um dos representantes do pessoal do contra é o deputado Vasco Graça Moura. Diz ele que o acordo “ é uma capitulação aos interesses brasileiros. No dia em que a grafia brasileira puder ser utilizada em todos os espaços em que se fala a língua portuguesa, é evidente que os interesses econômicos brasileiros, muito em especial os ligados às edições escolares, estarão altamente beneficiados”. E completa: "não há nada de anti-brasileirismo nesta opinião. O que há é a constatação de que com a adoção do acordo ortográfico – se é que ele chegará a entrar em vigor – é evidente que as entidades produtoras de material impresso sediadas no Brasil tirarão daí grandes vantagens.”

Apesar das incertezas, é da Africa que ecoa o coro a favor. O premiado escritor angolano José Eduardo Agualusa acredita que os maiores beneficiados pelo acordo ortográfico serão justamente os países africanos de língua portuguesa. O escritor afirma que “neste momento, em Angola, o que acontece é que no mesmo território existem livros com duas grafias, do Brasil e de Portugal. Portanto, temos, na prática, duas ortografias vigentes. Ainda por cima em um país cujo grande desafio é a alfabetização das populações”, diz Agualusa. O acordo vai facilitar a circulação do livro neste espaço de língua portuguesa. (fonte: BBC Brasil)

Motown 50 anos

Babel Black faz uma homenagem aos 50 anos da gravadora que mudou a história da música negra no mundo: a Motown. No dia 12 de janeiro de 1959 Berry Gordy Jr (fundador ou revolucionário?) provou que a falta de grana não é desculpa para deixar de realizar algo a mais nessa vida curta e passageira. Arranjou 800 dólares emprestados da família e iniciou sua jornada de sucesso em Detroit, EUA. Lá, abriu a Tamla Records, que, um ano depois, mudaria para Motown, a partir da junção das palavras "motor" e "Town" - apelido da cidade de Detroit. Nascia uma fábrica de hits que reuniu artistas da grandeza de Marvin Gaye, Diana Ross, Somokey Robinson e bandas como os Commodores, os Temptations e os Jackson 5. Para comemorar, uma visitinha nas dependências nos estúdios.....